Blog Vivros

Um ano novo: 2021 e os pequenos

28 de Dezembro de 2020 | Por Rafael Eiki | 3 minutos para ler

2020 não foi um ano fácil. É a primeira vez na história recente que temos basicamente um ano todo em que foram necessários tantos cuidados com uma doença. O medo, falta de esperança e cansaço bateu em todas as famílias, mas com 2021 temos a esperança de um futuro melhor com a chegada da vacina. No entanto, esse futuro não vai chegar de imediato na virada do ano, e ainda teremos um bom período de tempo até que a pandemia realmente acabe. E como ficam os pequenos em mais um ano de pandemia?

Em 2021 teremos que ter 3 coisas para lidar com as crianças: esperança, paciência e estratégia. Vamos falar um pouco de formas que podem ajudar a lidar com esse momento. É difícil conseguir se manter confinado por daqui a pouco 1 ano que a quarentena começou, ainda mais para os pequenos. Mas não é porque a vacina está chegando que podemos relaxar! O primeiro ponto é manter a esperança. A desmotivação afetou todo mundo e é difícil manter qualquer atividade, seja escolar ou trabalho. Acompanhar a criança de perto é essencial, e saber dosar esse acompanhamento com dar espaço para os pequenos (mesmo todos estando fechados em casa) é fundamental.

Se for o caso, use de acompanhamento psicológico infantil. Muitos psicólogos estão fazendo atendimentos online com uso de brinquedos e outras ferramentas para prender a atenção das crianças. Se você decidir que o comportamento do seu filho precisa de ajuda profissional, lembre que é melhor procurar com antecedência, já que fim de ano acontece uma sobrecarga desses profissionais com as pessoas que estão correndo para resolver seus problemas antes que o ano novo chegue.

Outro fator muito importante é a paciência. É difícil às vezes, já que é uma época complicada, mas podem aumentar as birras, mal humor e rebeldia aumentada com o estresse nas crianças. Não é porque seu filho está fazendo isso que você como pai ou mãe falhou; tente entender o motivo do acontecimento e lembre que principalmente para os mais jovens, pode ser difícil expressar o que eles estão sentindo.

A última palavra-chave para 2021 é estratégia. Em momentos que a situação tem melhoras e existe a flexibilização da quarentena, é necessário pensar com cuidado como ela vai ser feita. Muitas escolas estão tendo atividades presenciais, e é improvável que crianças vão conseguir seguir todos os protocolos de segurança perfeitamente. Evite o contato das crianças e todos da família que moram juntos com pessoas de grupos de risco.

Caso julgue necessário a visita da criança a algum amigo, tente formar “bolhas pequenas”, como por exemplo a criança só ter contato com um amigo de cada vez e ter um espaço adequado de tempo entre os contatos. Se a visita ao amigo estiver acontecendo só para distrair a criança, tente novas alternativas. Se possível brinque com a criança, ofereça livros que chamem a atenção dela e proponha uma rotina de atividades que consiga gastar a energia dela.

Nós sabemos o trabalho que foi cuidar de um filho em 2020. Muito obrigado a todos pelo esforço. Agora já andamos boa parte do caminho na pandemia, e o que falta é uma corridinha. Vacinem-se e protejam quem vocês amam. Que 2021 traga a alegria aos lares que há tanto esperamos.

Rafael Eiki

Pesquisador em tecnologias para educação e cofundador da Vivros. Seu foco de pesquisa é de tecnologias para leitura e escrita e gosta de estudar sobre desenvolvimento infantil.