Blog Vivros

Música para os ouvidos, benefícios para as crianças

21 de Outobro de 2018 | 3 minutos para ler

Quem não gosta de ouvir música? Seja uma música mais popular, bandas de rock ou mesmo algo mais lírico, a música pode nos transmitir sentimentos, relembrar bons momentos ou deixar a gente com vontade de dançar. Junto com tudo isso, vem ainda com muitos bônus para as crianças.

As músicas populares para crianças pequenas são geralmente com pouca variação de ritmo, letras muito simples e rimas. Isso facilita a memorização das canções e são um ótimo passo para os pequenos aprenderem palavras e a formar frases. Muitas músicas também ajudam a desenvolver habilidades básicas, como contagem (“5 patinhos foram passear…”).

Se a gente estiver falando de bebês então, aí o barulho pode ter mais efeito ainda! Os estímulos despertam a atenção deles nessa fase cheia de descobertas. Muitas vezes, a música ainda pode ajudar na expressão da criança, seja se movimentando ou fazendo caretas, por exemplo. Além disso, segundo o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, nessas respostas dos bebês, são criados momentos importantes afetivamente e cognitivamente, tanto entre pais e filhos quanto em ambientes educacionais.

Mas o que as crianças ouvem hoje em dia? Obviamente, isso varia muito dependendo da faixa etária, mas você poderia ficar surpreso como isso vai desde as canções de ninar até músicas do topo das paradas musicais. Alguns clássicos que são muito ouvidos são “Cinco Patinhos”, “Cabeça, ombro, joelho e pé” e “Se você está feliz”. A criança copia com facilidade tudo o que os outros fazem, então grande parte do comportamento musical dela pode ser reflexo daqueles que estão próximos.

A arte é fundamental para o desenvolvimento completo da criança, que trabalha com a criatividade e sensibilidade. Alguns lugares usam a metodologia de educação musical para um ensino mais integrado e com riqueza de práticas. O uso da música e o aprendizado de instrumentos musicais ainda contribuem para aumentar a concentração e facilidade de leitura e escrita, segundo estudo da Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos. Isso é adotado em diversos países, como no Japão. Mais sobre a educação musical, com conteúdo dessa universidade, pode ser visto aqui (link original, em inglês).

O Brasil tem uma cultura muito diversificada e com toques de cada região do país. Variedade de sons é o que não falta: pode ser o tambor, cavaquinho, piano ou o famoso berimbau metalizado. Tem para todos os gostos e todas as idades. Eu nunca tive muita habilidade com eles, mas tocava castanhola como ninguém. Se você não tiver nenhum instrumento, não é problema também. Bastam alguns materiais muito simples pra você ter um instrumento novinho em casa, podendo ser feito junto com o seu filho e ajudando no aprendizado dele.

Depois de tanto ler e falar, é hora de fazer barulho. Porque bater na panela com a colher não é sinal de bagunça, é sinal de vida. Vida que cresce e passa pelos nossos olhos num refrão só. Fazer música com o seu filho e contar as suas histórias através de canções pode criar laços que, não importa o barulho que for, serão momentos que ecoarão para sempre.