Blog Vivros

Lendo com os outros: o poder da colaboração

9 de Novembro de 2018 | 3 minutos para ler

Todos sabem a importância de ler em todas as idades. Isso impacta em qualquer atividade em sociedade. Ler é mais do que saber o significado de palavras e frases, é saber interpretar usando toda a bagagem cultural que se tem.

Normalmente a gente é acostumado a ler de forma individual. Seja no trem ou deitados na cama, a leitura tem um valor íntimo associado. Mas isso não significa que você precisa ler sozinho! Existem diversas situações em que fazer essa atividade com outras pessoas pode trazer benefícios.

Um primeiro exemplo são os clubes de leitura. Normalmente, são grupos de pessoas que combinam de ler um livro em um determinado período de tempo e depois realizam um encontro. É quase um happy hour da leitura! Além de conversarem e discutirem os livros, muitas dessas pessoas levam comidas e algumas fazem variações, como levando seus filhos para acompanhar as atividades. Além de socializarem, as crianças vão tendo contato desde cedo com os hábitos culturais de leitura.

A escolha dos livros pode seguir diferentes critérios. Vocês podem simplesmente escolher o que vocês estão com vontade, ou fazerem de forma temática - ficção, romances ou magos que viajam pelo espaço são algumas opções. Os temas podem ir também para a autoria e os editores, escolhendo livros de um mesmo autor ou editora, por exemplo (alô, Vivros!).

Outra forma é através da leitura colaborativa. É uma prática definida nos Parâmetros Curriculares Nacionais - PCNs -, que guiam como é a grade curricular do Ensino Básico. A leitura colaborativa é uma atividade em que os alunos fazem a leitura de um ou mais textos e, com mediação do professor, constroem uma visão colaborativa do que foi lido. Cada um contribui de formas diferentes na leitura, analisando vocabulário, levantando perguntas ou levando em consideração suas experiências pessoais e pontos de vista, por exemplo. A leitura colaborativa é muito importante para o desenvolvimento do pensamento crítico e analítico.

Apesar da sua prática ser mais comum na sala de aula, é possível aplicar a leitura colaborativa em outros ambientes, como em casa. É possível fazer uma prática assim com seus filhos e os amigos deles, por exemplo. Lendo juntos e discutindo, você estimula a capacidade de compreensão de textos e diferentes realidades deles.

Um último exemplo - mas não menos importante - é a leitura entre pais e filhos, de forma direta. Enquanto esta é uma das práticas mais conhecidas desse texto, seus benefícios nem sempre são ressaltados. Além de estimular a leitura e desenvolvimento da linguagem, essa atividade simples traz benefícios para a cognição da criança e ajuda a estreitar laços afetivos entre pais. Histórias com diferentes estímulos podem ajudar ainda mais nessa experiência e, para isso, não podemos deixar de recomendar os vivros.

Seja em casa, na sala de aula ou em um clube de livros, a leitura com outras pessoas pode ser mais divertida, enriquecedora e social. Como diria aquela música: lê lê lê lê lê lê lê, lá em casa…