Blog Vivros

Criando sebos em periferias

8 de Dezembro de 2020 | Por Rafael Eiki | 2 minutos para ler

Até hoje, muitas vezes ler é visto como “coisa de rico”. Livros de boa qualidade não possuem o preço mais acessível do mercado, além do hábito de leitura ser pouco difundido culturalmente no Brasil. Será que as crianças não gostam de ler ou não têm acesso à leitura? Eu acredito nesta última opção.

Uma forma de buscar levar os tão importantes livros a preços mais baratos é por meio de sebos. Com livros novos, seminovos e usados, os sebos são espaços que trazem leitura a um preço muito mais acessível. Sebos ajudam a construir futuros (de crianças em especial) que talvez não teriam o mesmo brilho sem ter contato com a literatura.

Aí entra em cena uma iniciativa muito bonita de pessoas que acreditam na leitura e educação no Brasil. O Sebo do Gueto cria sebos em periferias de cidades brasileiras: através do empoderamento econômico do livreiro, com suporte para captação de livros, eles estão criando pólos de leitura em lugares que muitas vezes são esquecidos.

O Sebo do Gueto aceita doações de livros e em dinheiro para dar suporte à iniciativa. Durante a Black Friday da Vivros de 2020, numa campanha conjunta, a Vivros se dispôs a doar uma parte dos lucros das vendas do período a fim de ajudar o programa. No momento, o Sebo do Gueto está com uma campanha de Matchfunding Enfrente: cada 1 real doado, a Enfrente doa o dobro, resultando em 3 reais que entram para o Sebo do Gueto. Assim, até o dia 18/12/2020, você pode doar para a causa neste link aqui. Além de ajudar com os sebos, você recebe brindes como ecobags, marcadores e livros.

Talvez você consiga facilmente comprar livros pela internet ou perto de você, mas lembre-se que essa não é a realidade de muitas pessoas por aí. Um livro faz toda a diferença na vida de uma pessoa, e você pode fazer a diferença na vida de muitas ao ajudar iniciativas como o Sebo do Gueto.

Rafael Eiki

Pesquisador em tecnologias para educação e cofundador da Vivros. Seu foco de pesquisa é de tecnologias para leitura e escrita e gosta de estudar sobre desenvolvimento infantil.