Blog Vivros

Aprendendo fazendo: deixa a criança brincar!

1 de Outobro de 2018 | 2 minutos para ler

Não são poucas as vezes em que a criançada quer brincar, mas seja pela bagunça causada ou pelo cansaço mesmo, damos só o celular ou tablet pra ela ficar quieta. A verdade é que esse comportamento é natural da mistura mágica que a criança tem e que é muito importante para o futuro dela.

“A criança nasce cientista” - dita por Roseli de Deus Lopes, engenheira, professora da USP e idealizadora de uma das maiores feiras de ciência do país, é uma máxima para uma das melhores características das crianças: a curiosidade.

Ser curioso não é ser bisbilhoteiro ou “chato”; é entender que o mundo é muito grande e cheio de coisas que as crianças querem explorar. São mais perguntas que respostas, é se questionar e estar aberto para ouvir o que o outro tem a dizer - parece que a gente pode aprender algumas coisas com elas, né?

A curiosidade pode ser amplificada através de brincadeiras, jogos, conversas com as crianças e expondo elas a diferentes atividades em que estejam ativas. Além de explorar o mundo, os filhos podem descobrir muito também lendo livros diferentes e falando e agindo sobre eles.

Além da curiosidade, brincar ajuda a desenvolver as habilidades psico-motoras, sociais e de comunicação da criançada. As brincadeiras que envolvem exercícios físicos (corridas, esconde-esconde, andar de bicicleta) também ajudam na saúde, como por exemplo, com problemas respiratórios.

Brincar e vivenciar também pode deixar os pequenos mais inteligentes! Segundo Jerome Bruner, especialista em educação, o conhecimento entra em 3 modos diferentes na nossa cabeça. Primeiro ele começa enativo, onde aprendemos atuando no ambiente. Para uma criança, pode ser aprender a andar de bicicleta, por exemplo. Depois, vem o conhecimento icônico, onde a informação é transformada em uma imagem. No nosso exemplo, pode ser a imagem da bicicleta ou da vista de cima dela. Por fim, o conhecimento é transformado em uma representação simbólica, como a palavra “bicicleta”. Quanto mais se atua, mais fica fácil de “aprender a aprender”.

Ufa, são muitos os motivos para querer fazer as brincadeiras acontecerem! Mesmo que às vezes possa ser difícil, lembre-se: o seu filho está na fase de explorar e isso é muito importante para ele. Balanceie isso com o resto da rotina e tudo vai ficar bem :)

Se você quiser algo mais tranquilo pra ele brincar, peça um vivro! São livros que usam da criatividade da criança e elas podem brincar com ele e com o app que vem junto. Clique aqui pra saber mais.